Menu fechado

Programa de Preservação Digital de Acervos da Fiocruz está disponível online

Com o aumento da produção de documentos digitais em instituições públicas e privadas, cresceu também a demanda por acesso remoto aos acervos, especialmente durante a…

Com o aumento da produção de documentos digitais em instituições públicas e privadas, cresceu também a demanda por acesso remoto aos acervos, especialmente durante a pandemia do Covid-19. Para sistematizar e documentar um conjunto de orientações e procedimentos para as ações de preservação dos objetos digitais nos acervos da instituição, a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) elaborou o Programa de Preservação Digital de Acervos, disponível para download no repositório institucional Arca.

Um dos desdobramentos da Política de Preservação dos Acervos Científicos e Culturais da Fiocruz, o documento estabelece diretrizes sobre a informatização para a preservação de acervos digitais, além de orientar a criação de planos de preservação digital específicos para os diferentes acervos. A política foi gestada no âmbito do ‘Preservo: Complexo de Acervos da Fiocruz’, rede constituída pela Presidência e por unidades técnico-científicas voltada para a preservação e difusão dos acervos culturais e científicos sob a guarda da Fundação.

O programa define os padrões e requisitos mínimos para elaboração de planos de preservação digital que poderão ser desenvolvidos por todas as instituições que possuem acervos e documentos digitais

Direcionado aos acervos arquitetônico, urbanístico e arqueológico, arquivístico, bibliográfico, museológico e às coleções biológicas da instituição, a iniciativa – inédita com esse escopo – pode ser referência para outras instituições dedicadas ao patrimônio cultural, avalia o vice-diretor de Patrimônio Cultural e Divulgação Científica da Casa de Oswaldo Cruz (COC/Fiocruz) e coordenador do projeto. “O programa define os padrões e requisitos mínimos para elaboração de planos de preservação digital que poderão ser desenvolvidos por todas as instituições que possuem acervos e documentos digitais”, explicou.

Fórum de Preservação Digital reunirá áreas de guarda de acervos

De acordo com Marcos José, a implementação do Programa de Preservação Digital de Acervos da Fiocruz caberá às unidades e escritórios responsáveis pela guarda e gestão dos acervos, por meio da elaboração dos Planos de Preservação Digital, e à Coordenação Geral de Gestão de Tecnologia de Informação (Cogetic). “O programa prevê a constituição de um Fórum de Preservação Digital, vinculado ao Comitê Gestor do Preservo, formado pelas áreas de guarda. Suas ações beneficiarão todas as estruturas da instituição responsáveis pela tutela de acervos”, disse.

Em linha com o Programa de Preservação Digital de Acervos da Fiocruz, já foram elaborados os planos de preservação digital do Repositório Institucional Arca, da VideoSaúde Distribuidora e da coleção do Programa Mais Médicos, parte do acervo arquivístico sob a guarda da Casa de Oswaldo Cruz. Para 2021, estão previstos o desenvolvimento do Plano de Preservação Digital do Repositório de Dados para Pesquisa e a implantação de um repositório digital para gerenciar a ingestão, armazenamento e acesso a longo prazo do conteúdo e metadados dos seus acervos digitais.

“O programa é parte de um processo ainda em desenvolvimento que demanda uma série de outras ações, mas é estruturante à instituição em qualquer ação de digitalização, produção e disponibilização de acervos oriundos dos processos de trabalho e de produção do conhecimento”, salientou Marcos José.

O Programa de Preservação Digital de Acervos foi elaborado por um grupo de trabalho composto por representantes dos diversos acervos da Fiocruz, de profissionais da área de tecnologia da informação e das vice-presidências de Educação, Informação e Comunicação, de Pesquisa e Coleções Biológicas, e de Gestão e Desenvolvimento Institucional da Fiocruz.

Para acessar o arquivo clique aqui

Fonte: Casa de Oswaldo Cruz